terça-feira, 1 de março de 2011

A saga do umbigo

Tudo começou com a visita à pediatra, que detectou uma carnosidade no umbigo de Duda. Isso se chama Granuloma umbilical. Ela disse que tinha que fazer uma cauterização e indicou um cirurgião.

Lá fomos nós à sucursal do inferno. Gente, como eu odeio consultório pediátrico. Aquele monte de criança correndo, gritando, sem educação. As mães nem aí pra história do Brasil. Tinha uma que, enquanto o menino corria, arrastando tapete e gritando, ela o seguia com uma colher cheia de iogurte:

- Toma, fulaninho! Toma! - ela dizia.

E o fulaninho, por sua vez, nem aí.

Conseguimos ser atendidos. O médico deu uma olhada básica e disse:

- Ok. Tem que operar. Mas é simples e não fazemos pelo plano.

Sem paciência pra procurar um que fizesse, resolvemos logo pagar e marcamos pro dia seguinte.

Inferno novamente e pra completar, fui perguntar se ainda iria demorar muito, já que ela era recém-nascida e todos os outros já eram grandes. Aí, depois de muito tempo, a moça diz:

- O que ela vai fazer? Tirar o freio da língua?
- Não, não! Vai cauterizar o umbigo.
- Ah, então tem que ver se os instrumentos já foram usados... Se foram, não vai dar pra esterilizar pra hoje!

O quê??????????

E não é que tinham sido usados! Imagine! A gente ia esperar a noite toda pra no final descobrir que não daria pra fazer nada! Aí eu disse que não dava pra ficar assim. Que ela era recém-nascida e tinha passado pela uti. Então, finalmente, ela fez o que deveria ter feito desde o primeiro dia. Informou que na segunda o médico não opera e, por isso, lá fica bem calmo.

Segunda-feira:

Chegamos lá e realmente estava tranquilo. Só tinha um casal com um menino de uns seis anos. Eles entraram e nós ficamos esperando. Quando, de repente, um grito de horror. Juro como parecia aqueles filmes de terror, onde a pessoa está sendo torturada até a morte. Era o menino! Tirando um tal anel pra cirurgia de fimose. Ele gritou por um bom tempo.

Fiquei imaginando se minha mãe estivesse lá. Ela teria carregado Duda pra casa na hora. Mas no final, ela entrou e deu tudo certo!

Depois conto o resto, porque Duda está querendo mamar!

4 comentários:

  1. Alooooo, Fernanda, isso é vc? kkkkkkkkkkkkkkk...Crianças correndo, inferno, mal educadas???? Fernanda, criança parada, sem correr é criança doente, esqueceu??? Crianças as vezes são assim, se não gostamos de esperas, filas, médicos, imagine elas que só querem brincar e se divertir...Bjão...PS.: Valeu pela persistência, p q eu tbm teria desistido desse médico!!! kkkkk

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    eu concordo com o comentário de cima. as únicas crianças educadas que conheci na minha vida foram geovana (neta do teu tia fernando e mesmo assim já é uma mocinha) e lorena (que só é educada fora de casa porque é matuta meeeesmo) hehehehehehehehhehe - ps.: bebês estão fora da lista pq bebês são, via de regra, bebês. Crianças são outra etapa.

    Mas aprendi uma coisa extremamente importante com os pais que foram ao teu chá de bebê: levar sempre um brinquedo que as crianças adorem pra entertê-las e, minha surpresa: funciona perfeitamente bem :O.

    Sendo assim, graças a deus finalmente deu tudo certo com Maria :D e espero que ela cresça uma criança saudável, sapeca, divertida e educada, mas tudo isso em conformação com a idade dela.

    p.s.: crianças que fazem birra no shopping são mal-educadas - não entram na categoria de "ah mulher, é a idade". hum.

    p.s2.: o menino que puxava o tapete provavelmente tbm entra nesta categoria! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Olha Eduarda no meu flickr: http://www.flickr.com/photos/diegodobelo/5490210519/

    :)

    ResponderExcluir
  4. THAÍSA MARTINELLO2 de março de 2011 06:33

    Ai meu Deus, fiquei apavorada só de ler esse post, sinceramente eu teria corrrido desse médico para bem longe, você foi bem persistente mesmo, merece parabéns. E a princesinha ficou calma? Bjs

    ResponderExcluir

Deixa um recadinho, vai?